fbpx

Posto que sofreu atentado se destaca por vender combustível barato

27/11/2017 | Mercado de combustível

Um posto de combustível que já sofreu um atentado na cidade de Blumenau em Santa Catarina vem se destacando pelo preço praticado, apesar das recentes altas  nos últimos dias, veja a matéria abaixo.

As altas recentes nos impostos e no mercado do petróleo tem pesado cada vez mais no bolso do blumenauense. Alguns postos já vendem o litro da gasolina ao preço de R$3,90. Apesar disso, um posto da Rua Bahia tem filas de clientes.

O Posto R1, localizado na rua Bahia, 5215, bairro Salto Weisbach, tem práticas de atendimento bem peculiares: pagamento somente em dinheiro e sem aqueles serviços básicos, como uma olhadinha na água e óleo.

No sábado dia 25/11, o posto vendia o litro da gasolina por R$3,649 e do Etanol a R$2,959. O valor chega a ser cerca de 3 a 7% mais barato que os postos da região central, onde a reportagem constatou preços de R$3,749 a R$3,899.

Um cliente falou em condição de sigilo que o patamar de preços dos concorrentes chama a atenção para a prática de cartel. ” Este posto sempre vende mais barato. É evidente que existe combinação de preços dos combustíveis.”, destacou.

Em julho deste ano, o posto R1 sofreu um atentado a tiros. O gerente do local afirmou que recebe diversas ameaças pela prática de preços.

Precisando reformar seu posto de combustível? Solicite um orçamento!

Fonte

Artigos Relacionados
Como aumentar a credibilidade da sua rede de postos de combustíveis?

Como aumentar a credibilidade da sua rede de postos de combustíveis?

A credibilidade é um dos valores mais importantes de um negócio. Uma empresa fideliza e conquista novos clientes por meio de uma boa opinião pública. Entretanto, a construção da credibilidade de uma empresa não é um caminho tão fácil a ser seguido. É um processo que...

Postos de bandeira branca: quais as vantagens desse nicho crescente?

Postos de bandeira branca: quais as vantagens desse nicho crescente?

Segundo dados de 2016 em uma pesquisa da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), 41,1% dos postos eram bandeira branca. Hoje, esse número atinge 48%, dos mais de 40 mil postos brasileiros. Em um momento incerto como o que estamos vivendo, é...